The Walking Dead - Sobreviventes

Aqui você poderá conversar com outros fãs da série.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Fic pro Josh ler. Se não for o Josh, VAZE DAQUI

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Badass


Membro
Era uma manhã de domingo em Los Santos. Carl estava dormindo em sua casa, após uma noite de sábado muito proveitosa, aonde o mesmo tinha saído com os membros da Groove Street Families, onde foram pra balada e zoaram, beberam e dançaram.

Carl, membro da Groove Street Families, tinha acabado de acordar. Carl se encontrava em seu quarto, sentado no cantinho de sua cama. Ele olha os retratos que tem em sua parede. Um deles é ele e seu irmão Sweet, um retrato que haviam tirado após uma partida de basquete em uma pequena quadra que Sweet tem em casa. Ele olha outro retrato de sua mãe. Emocionado, ele se levanta, retira a foto do quadro e a guarda no bolso de trás da calça.

Carl não havia escovado os dentes. Ele desce a escada sem camisa, com uma calça jeans azul e um par de tênis branco. Antes de ir a festa de sábado, ele havia feito Dreads em seu cabelo, que já estava enorme.

Carl se senta em um grande sofá azul que tem em sua sala. Checa umas revistas pornô que estavam jogadas em cima do sofá. Apenas as folheia. Depois pega o controle e liga a TV. Vai passando canal por canal. Entediado, ele desliga a TV.

Carl começa a ouvir uma música familiar.
Go Go Go. Go shawty. - Era seu celular indicando que alguém ligava a ele.

Carl o retira do bolso, e nota que é uma chamada de Sweet.
- Aah, justo numa hora dessa? - pensava Carl enquanto atendia o celular.


- Colé, fala aê brother? - atendia Carl.
- Ow mano, se arruma ai e cola aqui rápido. Os Ballas tão tentando tomar um território nosso ali perto da delegacia. Eu, Big Smoke e Rider vamos te esperar aqui fora no carro. - Desligava.

Carl que estava sem camisa, pega uma camisa branca regata que estava em cima do seu sofá, veste e sai de casa para se encontrar com sua gangue.

Ao sair, ele já nota seus parceiros no carro. Sweet vinha em direção até ele. Big Smoke estava encostado na lataria do carro de Sweet, e Ryder já estava lá dentro, no banco de motoristas, pronto pra agir.

- Hey brother, cansado por ontem? - dizia Sweet enquanto abraçava seu irmão.
- Mais ou menos, mas hoje é o nosso dia de meter bala naqueles putos brow. - Respondia.

O carro de Sweet é o mesmo de sempre. Quatro portas, representa as cores da família com seu verde com branco. Um carro simples. É o carro de Sweet - e um de seus favoritos - por ser resistente, apesar de não ser tão rápido.

Sweet, se vestia com sua aparência clássica. Um boné verde com um LS (Los Santos), uma camisa, calça e tênis verdes.
O mesmo de Ryder e Big Smoke. Big Smoke usava uma camisa abotoada verde, e um chapel marrom que parecia uma cartola. Ainda usa seu óculos padrão.
Já Ryder usava um boné preto escrito San Andreas. Uma camisa manga-longa verde e seu óculos preto. Seu bigodinho estava maior do que ele costumava deixar, recebendo até um apelido de "bigode-grosso" de seus amigos.

Ryder buzina.
- Vamo logo seus putos!

Eles entram no carro. Sweet e Big Smoke no banco de trás. Ryder vai pro outro lado para Carl dirigir.
- Toma aqui brow. - Dizia Rider dando uma TEC-9 - metralhadora de uma mão - a Carl.
- É a única que sobrou, não é?
- A gente vai pegar umas AK's com o Emmet, que tá esperando a gente lá. Essa daí é por precaução. Sweet tá com uma pistola. Você tem essa metralha e sua faquinha básica. Eu e o Big aqui temos dois tacos, ele de baseball e eu de golfe.
- Tá certo, bora lá.

Carl dirigia devagar. Ele havia batido o precioso carro de Sweet semanas atrás, resultando em oficina ao mesmo. Então ele tentava prevenir futuros acidentes.

Observando a vizinhança, ela estava bem serena. Praticamente ninguém na rua, nenhum barulho, apesar de já ser 8:00hrs da manhã. Apenas um senhor caipira (dos mais clássicos, boné de cowboy, palha nos dentes e macacão roxo), molhava sua grama.

- Vamo por um Funk ae brow. - Dizia Ryder enquanto colocava uma música e começava a dançar sentado no carro. Ele levantava seus braços e mexia a cintura, sentado.

Carl vira a esquina e vê duas pessoas no meio da rua, obrigando-o a parar o carro.

Uma das pessoas, estava deitada no chão, parecia estar inconsciente. Era um homem negro com tranças, uma calsa balão e uma camisa laranja de basquete. A outra estava ajoelhada e parecia estar comendo o homem negro.

- O que é isso? - perguntava Sweet
- Ih velho, parece ser um boquete. Alguém tem que tirar esses dois ae da rua e pagar um motelzinho pra eles - dizia Ryder enquanto abaixava o volume da música, deixando-a quase no mute.

Carl achou estranho por a pessoa ajoelhada ser uma senhora, já de cabelo branco e um vestido vermelho. Vestido esse que estava todo ensanguentado e rasgado. Carl nota também que a velhinha parecia ter recebido um tipo de mordida no ombro, que estava bem feia.

- Não temos tempo pra essa merda. SAI DAI SEUS PUTOS - Gritava Carl, enquanto buzinava.

Assim que o mesmo buzinava, a velhinha virava pra trás. A pele dela estava em uma palidez extrema, seus olhos brilhavam. A carne do homem negro caia de sua boca, que estava toda ensanguentada.

Ela vem andando de um jeito estranho até carro de Carl, e tentava quebrar o vidro do banco da frente aonde estava Carl, com movimentos estranhos com a boca e mãos.

- Mas que porra é essa? Sai dai sua puta. - Dizia Carl, não surtindo efeito. A velha continuava a tentar quebrar o vidro.

A rua continuava serena, ninguém ali para testemunhar o ocorrido. Ryder sai do carro com seu taco de golfe, vai até a velha e dá uma com ele na cara da velhinha, que dá um giro e cai no chão.

- Puta merda, o que noiado de toddy ta fazendo? - perguntava Big Smoke.

Sweet também sai do carro e vai até Ryder, o segurando e dizendo:
- Chega disso brother, a gente ta atrasado. Se algum civil de merda ver pode complicar pro seu lado. Até se ela resolver denunciar isso.
- É bom que essa velha desgraçada tenha aprendido a lição. PUTA MERDA. - dizia Ryder, foi essa sua reação quando viu a velhinha levantar e partir pra cima deles novamente.

- Sai daqui sua desgraçada. - dizia Ryder dando com o taco de golfe na cara da velhinha novamente, que caia novamente no chão, e se levantava.

- Carl, atropela ela, anda! - Big Smoke sugeria do banco de trás.
- Ta loco? Ela é só uma velha fodida.
- ANDA LOGO SEU PUTO.

Sons de tiros são escutados. Carl e Big Smoke olham de boca aberta, surpresos. Não era de se esperar, mas Sweet tinha atirado na velhinha. Dois tiros, ambos na região da barriga. Mas os dois não ficaram surpresos por isso, e sim por que a velhinha continuava a andar, e com uma força extrema, derruba Sweet no chão ficando em cima dele.

Sweet segurava a velhinha pela garganta com muita força. Ela continuava a fazer sons estranhos e tentando comer Sweet.

- Tirem ela de cima de mim, essa porra ta fedendo pra caralho, que nojo.

Carl e Big Smoke imediatamente saiam do carro. Big Smoke pega seu Taco de Baseball e bate na cabeça da velhinha, arrancando sua cabeça fora.

Ver perfil do usuário
Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Era uma manhã de domingo em Los Santos. Carl estava dormindo em sua casa, após uma noite de sábado muito proveitosa, onde o mesmo tinha saído com os membros da Groove Street Familie pra balada. Lá zoaram, beberam e dançaram.

Carl, membro da Groove Street Families, tinha acabado de acordar. Carl se encontrava em seu quarto, sentado no cantinho de sua cama. Ele olha os retratos que tem em sua parede. Um deles é ele e seu irmão Sweet, um retrato que haviam tirado após uma partida de basquete em uma pequena quadra que Sweet tem em casa. Ele olha outro retrato de sua mãe. Emocionado, ele se levanta, retira a foto do quadro e a guarda no bolso de trás da calça.

Carl não havia escovado os dentes. Ele desce a escada sem camisa, com uma calça jeans azul e um par de tênis branco. Antes de ir a festa de sábado, ele havia feito Dreads em seu cabelo, que já estava enorme.

Carl se senta em um grande sofá azul que tem em sua sala. Checa umas revistas pornô que estavam jogadas em cima do sofá. Apenas as folheia. Depois pega o controle e liga a TV. Vai passando canal por canal. Entediado, ele desliga a TV.

Carl começa a ouvir uma música familiar.
Go Go Go. Go shawty. - Era seu celular indicando que alguém ligava a ele.

Carl o retira do bolso, e nota que é uma chamada de Sweet.
- Aah, justo numa hora dessa? - pensava Carl enquanto atendia o celular.


- Colé, fala aê brother? - atendia Carl.
- Ow mano, se arruma ai e cola aqui rápido. Os Ballas tão tentando tomar um território nosso ali perto da delegacia. Eu, Big Smoke e Ryder vamos te esperar aqui fora no carro. - Desligava.

Carl que estava sem camisa, pega uma camisa branca regata que estava em cima do seu sofá, veste e sai de casa para se encontrar com sua gangue.

Ao sair, ele já nota seus parceiros no carro. Sweet vinha em direção até ele. Big Smoke estava encostado na lataria do carro de Sweet, e Ryder já estava lá dentro, no banco de motoristas, pronto pra agir.

- Hey brother, cansado por ontem? - dizia Sweet enquanto abraçava seu irmão.
- Mais ou menos, mas hoje é o nosso dia de meter bala naqueles putos brow. - Respondia.

O carro de Sweet é o mesmo de sempre. Quatro portas, representa as cores da família com seu verde. Um carro simples. É o carro de Sweet - e um de seus favoritos - por ser resistente, apesar de não ser tão rápido.

Sweet, se vestia com sua aparência clássica. Um boné verde com um LS (Los Santos), uma camisa, calça e tênis verdes.
O mesmo de Ryder e Big Smoke. Big Smoke usava uma camisa abotoada verde, e um chapel marrom que parecia uma cartola. Ainda usa seu óculos padrão.
Já Ryder usava um boné preto escrito San Andreas. Uma camisa manga-longa verde e seu óculos preto. Seu bigodinho estava maior do que ele costumava deixar, recebendo até um apelido de "bigode-grosso" de seus amigos.

Ryder buzina.
- Vamo logo seus putos!

Eles entram no carro. Sweet e Big Smoke no banco de trás. Ryder vai pro outro lado para Carl dirigir.
- Toma aqui brow. - Dizia Rider dando uma TEC-9 - metralhadora de uma mão - a Carl.
- É a única que sobrou, não é?
- A gente vai pegar umas AK's c
om o Emmet, que tá esperando a gente lá. Essa daí é por precaução. Sweet tá com uma pistola. Você tem essa metralha e sua faquinha básica. Eu e o Big aqui temos dois tacos, ele de baseball e eu de golfe.
- Tá certo, bora lá.

Carl dirigia devagar. Ele havia batido o precioso carro de Sweet semanas atrás, resultando em oficina ao mesmo. Então ele tentava prevenir futuros acidentes.

Observando a vizinhança, ela estava bem serena. Praticamente ninguém na rua, nenhum barulho, apesar de já ser 8:00hrs da manhã. Apenas um senhor caipira (dos mais clássicos, boné de cowboy, palha nos dentes e macacão roxo), molhava sua grama.

- Vamo por um Funk ae brow. - Dizia Ryder enquanto colocava uma música e começava a dançar sentado no carro. Ele levantava seus braços e mexia a cintura, sentado.

Carl vira a esquina e vê duas pessoas no meio da rua, obrigando-o a parar o carro.

Uma das pessoas, estava deitada no chão, parecia estar inconsciente. Era um homem negro com tranças, uma calsa balão e uma camisa laranja de basquete. A outra estava ajoelhada e parecia estar comendo o homem negro.

- O que é isso? - perguntava Sweet
- Ih velho, parece ser um boquete. Alguém tem que tirar esses dois ae da rua e pagar um motelzinho pra eles - dizia Ryder enquanto abaixava o volume da música, deixando-a quase no mute.

Carl achou estranho por a pessoa ajoelhada ser uma senhora, já de cabelo branco e um vestido vermelho. Vestido esse que estava todo ensanguentado e rasgado. Carl nota também que a velhinha parecia ter recebido um tipo de mordida no ombro, que estava bem feia.

- Não temos tempo pra essa merda. SAI DAI SEUS PUTOS - Gritava Carl, enquanto buzinava.

Assim que o mesmo buzinava, a velhinha virava pra trás. A pele dela estava em uma palidez extrema, seus olhos brilhavam. A carne do homem negro caia de sua boca, que estava toda ensanguentada.

Ela vem andando de um jeito estranho até carro de Carl, e tentava quebrar o vidro do banco da frente aonde estava Carl, com movimentos estranhos com a boca e mãos.

- Mas que porra é essa? Sai dai sua puta. - Dizia Carl, não surtindo efeito. A velha continuava a tentar quebrar o vidro.

A rua continuava serena, ninguém ali para testemunhar o ocorrido. Ryder sai do carro com seu taco de golfe, vai até a velha e dá uma com ele na cara da velhinha, que dá um giro e cai no chão.

- Puta merda, o que noiado de toddy ta fazendo? - perguntava Big Smoke.

Sweet também sai do carro e vai até Ryder, o segurando e dizendo:
- Chega disso brother, a gente ta atrasado. Se algum civil de merda ver pode complicar pro seu lado. Até se ela resolver denunciar isso.
- É bom que essa velha desgraçada tenha aprendido a lição. PUTA MERDA. - dizia Ryder, foi essa sua reação quando viu a velhinha levantar e partir pra cima deles novamente.

- Sai daqui sua desgraçada. - dizia Ryder dando com o taco de golfe na cara da velhinha novamente, que caia novamente no chão, e se levantava.

- Carl, atropela ela, anda! - Big Smoke sugeria do banco de trás.
- Ta loco? Ela é só uma velha fodida.
- ANDA LOGO SEU PUTO.

Sons de tiros são escutados. Carl e Big Smoke olham de boca aberta, surpresos. Não era de se esperar, mas Sweet tinha atirado na velhinha. Dois tiros, ambos na região da barriga. Mas os dois não ficaram surpresos por isso, e sim por que a velhinha continuava a andar, e com uma força extrema, derruba Sweet no chão ficando em cima dele.

Sweet segurava a velhinha pela garganta com muita força. Ela continuava a fazer sons estranhos e tentando comer Sweet.

- Tirem ela de cima de mim, essa porra ta fedendo pra caralho, que nojo.

Carl e Big Smoke imediatamente saiam do carro. Big Smoke pega seu Taco de Baseball e bate na cabeça da velhinha, arrancando sua cabeça fora.

eu li achei muito bom mas não sou o josh o que eu faço

testando

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum